Início >>Categorias>>Carros>>Evolução dos carros

Fazer Fácil também está no Twitter

Fazer Fácil também no Youtube

 

A evolução dos carros


Podemos dizer que ninguém inventou o carro. Este resultou de um processo evolutivo, sendo seus predecessores a carruagem puxada a cavalos, na qual foi montado um motor a vapor, e o triciclo do século XIX, que não era mais que uma bicicleta com uma roda a mais que lhe conferia maior estabilidade. Com o passar do tempo os carros foram perdendo a sua semelhança com a carruagem.

Foram numerosas as influências que condicionaram a atual forma do carro. Técnicos, artistas e legisladores, obedecendo aos ditames da física e da matemática, da estética e da segurança, tiveram todos o seu papel. Poucos daqueles que participaram inicialmente do processo de evoluação do carro poderiam ter imaginado o que iria resultar dos seus esforços no período de um século.

Desde o seu aparecimento, em consequência de experiências casuais de pequenos grupos de inventores, o carro evoluiu de tal maneira que veio a transformar a sociedade. Tendo consistido inicialmente num objecto de diversão ao alcance apenas do capricho das classes mais ricas, converteu-se num benefício para milhões de pessoas, num meio de locomoção essencial.

Motor Benz de 1 cilindro e 3/4 de HP, 1885Na origem do carro encontra-se o motor de combustão interna; o primeiro exemplar foi construido em 1860 pelo inventor Étienne Lenoir. A partir de então, chegou-se rapidamente ao que há de fundamental no modelo de um carro.

Primeiras experiências
Experiências isoladas, realizadas em toda a Europa ao longo das décadas de 1860 e 1870, contribuíram para o aparecimento de algo muito semelhante ao carro atual. Uma das mais significativas foi a invenção de de um pequeno carro impulsionado por um motor a 4 tempos, construído por Siegfried Markus, em Viena, em 1874. Os motores a vapor, que queimavam o combustível fora dos cilindros, abriram caminho aos motores de combustão interna, que queimavam no interior dos cilindros uma mistura de ar e gás de iluminação. O ciclo de 4 tempos foi utilizado com êxito pela primeira vez em 1876, num motor construído pelo engenheiro alemão Conde Nikolaus Otto. Neste motor o combustível era comprimido antes de ser inflamado, o que resultava um considerável aumento de rendimento do motor.

Ao utilizar como combustível gasolina em vez de gás, conseguiu-se que o motor dispusesse de uma alimentação de carburante independente; a partir de então, pôde converter-se em objeto móvel.

Próxima

Compartilhe |

comments powered by Disqus

Pesquisa personalizada

Fazer Fácil - Política de Privacidade